quarta-feira, março 5

Glicínia

Chegou hoje à livraria o documentário de Jorge Silva Melo "Conversas com Glicinía", Artistas Unidos . Chegou hoje e ainda não parei de o espreitar.

A primeira vez que vi Glicínia Quartin foi no filme Dom Roberto de Ernesto de Sousa e nunca mais a esqueci. Voltei a revê-la algumas vezes na Cornucópia, e na televisão - uma Winnie (em Dias Felizes de Samuel Beckett) que não me deixava respirar colada ao ecrã a vê-la afundar, e que agora não consigo encontrar referências. Inesquecível.

E agora está aqui, mesmo ao meu lado, uma caixa cheia de conversas "conversadas" com Jorge Silva Melo e eu, só consigo imaginar-me sentada em casa naquela hora da noite em que tudo acalmou, a ouvi-la falar, contar, provocar.
Chegou hoje e já sei que logo vai comigo para casa.

Do verso do DVD:

"Gosto tanto de a ouvir falar, à Glicínia. Mas não queria que ela falasse só comigo. Por isso fiz este filme, para partilhar as minhas conversas com Glicínia Quartin."

Jorge Silva Melo

"Não sei do que gosto mais, se de ouvir o que pensa (que não pára de pensar), se de a ouvir contar tanta vida que viveu (que não sabe estar parada sem viver), se de a ver brincar (que a vida para ela tem de ser festa). Gosto de a ver representar: pensa, mexe-se, brinca, imagina e enquanto representa conta coisas que conhece do que viu nos outros. Conversa, de facto ("não achas?", "lembras-te?", "e tu?", "quero perguntar-te uma coisa"), curiosa de mim, de ti, de todos os outros e de todas as coisas, firme no que decide e a querer saber o que o outro quer, sempre a pedir esse "tu". Inventa-se e inventa espaço. Transporta a alegria. Sem peso. Sempre em movimento. Porque vive em sedução. E porque ama como ninguém a sua e a minha e a tua e a nossa liberdade. Há mais actriz? Há mais pessoa? Melhor amiga?"

Luís Miguel Cintra

"Olha que é uma frase do Rainer Maria Rilke: uma profissão não chega para uma vida. Não chega? Para mim não chega. Se me aparecesse agora alguma coisa, eu ainda ia. Às vezes penso nisso."

Glicínia Quartin
--
Débora Figueiredo

Nenhum comentário: