sábado, abril 26

Opiniões

Gostei de ler este artigo de opinião “Uma parte da guerra” de Francisco José Viegas sobre a (des)organização da Feira do Livro deste ano. Embora, não concorde inteiramente com a frase: “O ideal seria, evidentemente, que cada editor (e, no futuro, cada grupo editorial, uma vez que o mercado mudou) planeasse os seus stands com inteira liberdade”. Tenho algumas dúvidas, se não seria aumentar cada vez mais o fosso entre grandes grupos editoriais e pequenas editoras. Introduzir uma lógica de mercado em tudo que fazemos, pode ser a meu ver, tão perigoso como a criação de regras de uniformização.
---
Jaime Bulhosa

Nenhum comentário: