quarta-feira, julho 9

«O Segredo»

Há quanto tempo não vemos uma campanha pela divulgação da leitura, organizada por um organismo do Estado (pelo menos não tenho dado por isso), com excepção de algumas bibliotecas e escolas, muito mais por carolice de quem lá trabalha, do que outra coisa qualquer. A verdade é quem tem tido esse papel são os privados, as editoras, os livreiros, os leitores mas sobretudo a blogoesfera. Vejam-se os casos dos blogues como: Biliotecário de Babel, Da Literatura, Blogtailors, Cadeirão Voltaire, Ler, Ciberescritas, Livraria Trama, 1979, Planeta Tangerina, Rua da Castela, etc., etc. e desculpem-me os que não referi.

Aqui fica uma ideia do que se pode fazer.

Jaime Bulhosa

4 comentários:

Serras disse...

Bom, não querem abrir uma produtora de vídeo para diversificar a actividade? É que talento não falta, pelos vistos.

Muito bons estes vídeos, tenho-me divertido muito a vê-los. Parabéns!

Abraços, Diogo

loira com doutoramento disse...

os videos deste blog sao mt divertidos! obrigada.

qt a campanhas, ha 1 ano q apareceu a polemica campanha de BET's "read a book", disponivel em :
http://www.youtube.com/watch?v=rN2VqFPNS8w

magnuspetrus disse...

Acredito que grande parte do problema reside na não divulgação das actividades/promoções, o que não deixa de ser condenável nos tempos que correm.
Trabalho há cerca de dois anos na Biblioteca de Grândola enquanto animador do livro e da leitura e a realidade na província é bem distinta.
A promoção da leitura passa muito pelo boca a boca epela confiança pessoal.
Depois de um primeiro ano de muitas frustrações e suor quase inglório, consegui, este ano, triplicar "o público". Não porque o meu trabalho tenho sido muito melhor do que o do ano anterior, mas apenas porque as pessoas já me conheciam e aceitavam como elemento válido.
Nesse sentido, não há uma campanha institucional que resulte.
Contudo, a Biblioteca criou um blogue de maneira a poder publicitar as suas actividades eoferecer as mais diversas sugestões, sendo este bastante mais frequentado pelos mais novos, ao passo que grande parte dos adultos (e com especial relevo para a classe docente) o olha com desconfiança.
Numa altura em que me encontro já a preparar o próximo ano lectivo, chego a pensar se valerá a pena avançar com projectos "institucionalizados".
Já agora, queria apresentar os meus parabéns pelo fantástico vídeo!

João Cruz disse...

Boa Jaime! ;-) Era mesmo qualquer coisa desse género.