terça-feira, setembro 9

Desespero!

Recebi este e-mail (escrito em português) de uma livraria espanhola de Bilbao:

“ Escrevo para pedir ajuda. Na nossa livraria costumamos trabalhar com livros portugueses, sobretudo métodos e dicionários e temos um pequeno fundo de narrativa neste idioma, mais por sentimentalismo do que pela existência real de um mercado para estes livros. O problema é que a empresa que nos fornece estes livros nunca nos serviu muito bem, e este ano tem sido absolutamente desastroso. Os atrasos têm sido inaceitáveis, ao ponto de fazer com que perdêssemos clientes (a título de exemplo: tenho à minha frente livros editados pela Caminho em 2007 e que foram pedidos em Abril; chegaram hoje).
Evidentemente, temos procurado alternativas, mas das duas uma: ou não há praticamente empresas que se dediquem à exportação de livros portugueses, ou as que existem não têm presença na Internet.”


Considero absolutamente vergonhoso para o nosso país a forma como é feita lá fora a divulgação da nossa língua. Nem mesmo quando a iniciativa é feita em sentido contrário, isto é, quando o interesse parte deles e não de nós, o sabemos aproveitar.

Tentei ajudar, mas a empresa que lhes indiquei é exactamente aquela com quem eles trabalhavam. Se alguém souber como os podemos ajudar envie-nos um e-mail.
--
Jaime Bulhosa

5 comentários:

J. disse...

na biblioteca onde trabalho (em frança) também temos o mesmo problema... começamos a desenvolver uma secçao de livros em lingua portuguesa uma vez que ha um numero significativo de portugueses nesta vila. as coisas ja sao inicialmente complicadas porque trabalhamos com "marchés" (nao sei se poderemos traduzir mercados) em que a melhor oferta, que agrupa varios criterios, é a escolhida. a questao é que nao ha muita escolha para se trabalhar com fornecedores de livros portugueses e os preços dos livros sao altamente inflacionados, o que limita bastante as coisas em varios aspectos. de qualquer modo trabalhamos com um fornecedor que nos apresenta livros do ano anterior, mas se quisermos comprar novidades ou outros titulos e assuntos que saiam daquilo que ele propoe é possivel encomendar e obtê-los em aproximadamente 1 mês (por vezes mais). nao sei se poderia ser uma opçao trabalhar com um fornecedor estrangeiro para fornecimento de livros em lingua portuguesa. se a relaçao preço/prazo/qualidade do serviço for semelhante talvez seja a considerar. se for uma opçao interessante poderei informar-me se trabalham com fornecedores estrangeiros e enviar o contacto.

Pó dos Livros disse...

Também já pensei nisso. Se poder enviar contactos agradeço.

Jaime Bulhosa

Teresa Coutinho disse...

Neste país temos situações como estas. Há quem diga que não devemos ser péssimistas e olhar sempre para o desprestigiante, mas é um facto, por todo o lado se vêem situações destas, que acabam por deixar mal visto o país.

fallorca disse...

«Lá fora», ainda é o menos, já se esqueceram da recente barracada de um leitor que andou a fazer pingue-pongue pelas livrarias da "Lusa Athenas" à procura de livros de Borges?
Andar à procura de Borges não é tarefa fácil.

Suzana Elvas disse...

Jaime, estou no Rio de Janeiro e trabalho em mercado editorial. Algumas editoras trabalham com distribuidoras na Europa. Vou investigar e posto aqui uma resposta. Qualquer coisa meu e-mail é suzana.elvas@gmail.com.
Abs