segunda-feira, setembro 1

O Lucky Luke...

Na Europa Central do século XVII os loucos, os pobres e os desempregados eram considerados indigentes e colocados juntos em instituições. Pouco importava as circunstâncias, o facto é que todos incorriam num pecado capital: a Preguiça.

Felizmente, estamos longe desse tempo. No entanto, continuam a existir loucos, pobres e desempregados que são vítimas deste preconceito social. A pequena história que se segue não tem qualquer preconceito implícito, apenas relata um acontecimento engraçado passado na livraria:


Cliente: Tem o Lucky Luke?

Livreiro: Tenho sim. Qual é o título que deseja?

Cliente: Não pode ter… Porque o Lucky Luke sou eu! (Ao dizer isto senta-se no chão e assobia.)

Livreiro: Desculpe! O que é que está a fazer?

Cliente: Estou a chamar o Jolly Jumper, o meu cavalo.

Livreiro: Já agora, quando sair não quer levar o Rantanplan?

Cliente: Não! Esse cão é louco e assusta-me o cavalo.
---
Jaime Bulhosa

Um comentário:

disse...

que pena não estar na livraria quando isto aconteceu!!!!!!