quarta-feira, outubro 1

Os livros na FNAC estão mais caros

Li hoje no jornal «Público» a notícia de que o grupo FNAC deixou de fazer 10% de desconto nos livros e que apenas os seus clientes com cartão FNAC terão esse privilégio (até ver). Parece-me claro que o negócio da FNAC deixou de ser o negócio dos livros, ou que nunca o foi. Depois de praticamente destruírem o mercado das pequenas e médias livrarias e de "esmifrarem" as margens comerciais dos editores, tornando-os FNAC-dependentes, têm agora caminho livre para fazerem o que querem, como quem diz: Pagas 15€ e és cliente de cartão, ou vai comprar a outro lado.
--
Jaime Bulhosa

3 comentários:

tó disse...

e que tal uma denuncia à autoridade da concorrencia?

jna disse...

Denunciar o quê? Que uma empresa decidiu aumentar o preço dos seus produtos? Não se pode? Quem não quiser comprar na fnac tem bom remédio, não compre ou compre no outro lado. Em qualquer dos casos, se as vendas baixarem vão ver se os preços não voltam aos níveis de antes.

João disse...

A estratégia da Fnac é velha e resulta quando a concorrência não está preparada ou nem sequer existe, que foi o que aconteceu em Portugal. A Bertrand depois ainda foi a reboque do conceito, mas a avaliar pelo recente fecho da loja do Vasco da Gama, onde se inaugura precisamente hoje uma Nova Fnac, a situação não deve ser animadora. As lojas Valentim de Carvalho idem aspas aspas.
Ou seja, se os livreiros deste país são tão fantásticos por que não se lembraram do conceito Fnac? Bastava copiar o que existia em França e evitava-se a choraminguice do costume.