sexta-feira, novembro 21

Comunicado da Byblos

Não tenho qualquer pretensão em querer parecer melhor gestor que o administrador da Byblos, com as devidas distâncias de dimensão, até porque nos dias que correm não estou livre de também fechar portas (bate na madeira). Só que no caso da Pó dos livros, se isso vier acontecer, não será notícia de jornal, e ainda bem... Li o comunicado que a Livrarias Peculiares, S.A. (era assim que pelos vistos se chamava a empresa proprietária da Byblos) fez para a comunicação social. Como José Mário Silva chamou já a atenção no seu blog, nem uma palavrinha de agradecimento para com os funcionários. Como é possível esquecer quem connosco trabalha todos os dias? Para quem connosco partilha as dificuldades, sim, porque as dificuldades da empresa são também as dificuldades dos seus funcionários e no fim, quando as coisas correm mal, são os principais prejudicados. Não foi um erro de gestão o tratamento que a Byblos deu às pessoas que lá trabalharam, foi um acto imoral, de falta de valores essenciais de respeito pelo próximo. Depois, outro esquecimento imperdoável, o agradecimento devido aos seus clientes, demonstra bem que nunca foram uma prioridade. Por fim, a desculpa para a insolvência, o facto de o “Protocolo de Entendimento” para a tomada de 40% do capital não se ter verificado, chama-se em linguagem técnica de gestão “contar com o ovo no cu da galinha”. O mundo mudou de facto, mas mudou para todos.
--
Jaime Bulhosa

6 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Tenho imensa pena que tal tenha acontecido, até porque nunca lá fui e queria de facto ter conhecido o espaço. Apenas encomendei alguns livros pela net.
Outros há que se devem estar a rir que nem uns perdidos, o que é de lamentar.

Anônimo disse...

Em nome dos funcionários da Byblos, um grande bem-haja pelas suas palavras. Fomos jogados fora como se fossemos lixo. E isso magoa mais que mil insolvências.

Anônimo disse...

Quem se bloga assim... não é gago, qual gestão qual meia gestão, foi mas é indigestão de tanta megalomania e arrogância!

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Não deixa de ser uma pena, cada vez que fecha um espaço associado a livros, e Lisboa não tem nada que se pareça com a Byblos.
Do ponto de vista de quem gosta de livros a sério o espaço é importante bem como a diversidade. Com a concentração e empobrecimento relativo que se vem verificando, assistir ao fecho da Byblos não me deixa indiferente. Gostava de lá ir. Como gosto de todas as livrarias...

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Parabéns pela Livraria e pelo Blogue, para o qual fiz uma recomendação no SHIPS & THE SEA

Boa sorte e bom trabalho

Luís Miguel Correia

Sofia disse...

Eu não li o comunicado mas dá para ver que não foi só uma questão de localização ou gestão.
E como poderia esperar eu de uma empresa com as prioridades tão trocadas, que comunicasse comigo?...

E agora, muitos posts já lidos sinto-me pronta para confessar que "sempre" quis ter uma livraria das que convidam a entrar e a estar. Ai o cheiro dos livros:D (o lado romântico pois;))

Boas leituras*
Sofia Mendonça