quarta-feira, dezembro 3

Como pôr a cabeça de um livreiro a andar à roda


Há pessoas que nunca entram numa livraria e quando entram…


- Queria aquele, (Pausa). Esqueci-me agora de repente do nome… como é que se chama? Ah!, já sei, Castelo Branco.

- E qual desejava? O Amor de Perdição, A Queda de um Anjo, Noites de Lamego.

- Não sabia que já tinha tantos! Deixe-me ver…não sei, talvez…
O Amor de Perdição, soa-me mais.

- Aqui tem!

- Desculpe! Eu queria era o CD.

- Mas…??? O Camilo não tem CD’s.

- Camilo! Mas ele não é José?

--
Jaime Bulhosa

7 comentários:

{anita} disse...

:)))

Anônimo disse...

Epá, isto é giro, esta moda de livreiros a gozarem com os gajos que lhes entram pela choldra adentro e que se chamam... como é que se diz?...ah. CLIENTES!

Pó dos Livros disse...

Não temos qualquer intenção de “gozar” com os nossos clientes. São pequenas histórias, que nunca personalizamos, que podem ou não ter-se passado aqui e que, pelo seu absurdo são divertidas.

Marco disse...

Todos os locais de atendimento ao público têm histórias destas para contar.
:-)

Yo disse...

:) acho que me revejo nesse tipo de clientes, não porque nunca entre numa livraria mas porque "aluada" como sou normalmente perco-me nelas...nunca sei qual a disposição para ler o que quer que seja ... ops!

Moura Aveirense disse...

?!?! Seriously? :)

BiblioFilmes Festival disse...

Nós temos uma categoria de Anedotas no BiblioFilmes Festival.

Fica aqui o convite (e, claro, desafio - a anita, o anônimo não, o marco, yo e a moura aveirense, além da pó dos livros são testemunhas) para fazer(em) um vídeo com esta (ou outra) boa anedota baseada em livros e jet7

Já agora, no dia 4 publicámos duas (sem j7 mas com uma loura), como inspiração.

VM
Org. BiblioFilmes Festival