sábado, dezembro 6

"Onde Reside o Amor"


Juro, não tenho nada contra a Margarida Rebelo Pinto, nem contra quem a lê, mas não resisto a escrever umas palavrinhas sobre o seu último livro, melhor, sobre o seu último “embrulho de natal”.
Desde já peço desculpa à Margarida que o escreveu, à Maria Manuel Lacerda que fez a capa e ao António Lobato Faria que o editou, aos dois últimos porque os conheço pessoalmente, mas desta vez passaram-se!

Não sei o número da tiragem deste livro, mas são com certeza uns bons milhares. Estou a imaginar os desgraçados dos funcionários de armazém, a quem lhes calhou a árdua tarefa de executar milhares de lacinhos dourados a chamarem nomes feios aos seus patrões. É que, no mínimo, esta tarefa valeu uma tendinite! Como livreiro também quero levantar um protesto. Pergunto: Querem acabar de vez com o embrulho artesanal e centenário dos livreiros?

--
Jaime Bulhosa

5 comentários:

morenocris disse...

A-D-O-R-E-I !!!!!!!! rsrs

Beijos.

Anônimo disse...

eu vi esses livros em várias lojas, e nao vi em nenhuma delas embrulhadas com lacinhos. Acho que as pessoas falam muito há toa ;)

Anônimo disse...

Eu pessoalmente comprei o livro da Margarida,não pelo laço claro!! Mas porque gosto de ler os seus livros.

No entanto, confesso que achei imensa piada ao laço de cetim. Se bem me lembro, o livro "diário da tua ausência", apostou de igual modo na originalidade. Mas será o laço um trabalho assim tão árduo de executar??

Desculpem a sinceridade, mas nem todos temos a sensibilidade para fazer a conotação do laço de cetim com a forma de expressão escrita da Margarida.

Minhas amigas...
Nós mulheres acima de tudo deviamos ter em conta os livros desta escritora, a garra com que defende as mulheres dá prazer a qualquer uma de nós!!!

Esqueçam os laços e leiam os livros.

Com todo o respeito!!!

katt disse...

Com laço ou sem laço, parabens á Margarida por mais um excelente livro e uma excelente interpretação da cobardia dos homens no que toca ao verbo Amar...!
Pelos vistos incomoda muitos homens hoje em dia que algumas mulheres até os consigam entender sem precisar de um manual de instruções.

Anônimo disse...

"melhor, sobre o seu último “embrulho de natal".

Embrulho de natal?
O livro mais proximo do natal da Margarida Rebelo Pinto foi: "O dia em que te esqueci"

Aposto que o embrulho nao era de natal :S

Mas tambem nunca vi o livro a venda com o laço so deve ter ido assim para Lisboa onde tudo acontece, sim porque nas pequenas cidades é tudo diferente.