sexta-feira, fevereiro 6

O drama das pequenas livrarias independentes

Nem todos os clientes são tão compreensivos e fiéis como esta nossa cliente, a quem desde já reitero o nosso pedido de desculpas, porque sinceramente não tem nada de se preocupar com as nossas dificuldades, tem é de ser atendida prontamente e ponto final.

Nós sabemos que vendemos pouco, que não representamos nada em termos percentuais nas vendas das grandes editoras ou distribuidoras e por isso muitas vezes somos relegados para segundo plano. Há mesmo quem divida os clientes em 1.ª, 2.ª e 3.ª categorias. Felizmente, nem todas as grandes editoras ou distribuidoras são assim, algumas fazem um trabalho exemplar junto dos pequenos livreiros; inclusivamente, quando por dificuldades de tesouraria (o que não é o caso) não pagamos a tempo e a horas, vêm ter connosco e propõem planos de pagamento mais alargados.
No entanto, modéstia à parte, fazemos mais pela divulgação da leitura do que muitas das grandes livrarias, nomeadamente em eventos que promovemos e na divulgação de livros na internet ou na blogosfera. Esse trabalho pode até não se reflectir em vendas de livros nas pequenas livrarias, mas pergunto: quantos livros por nós aconselhados são muitas vezes vendidos posteriormente noutros locais? Seria bom que alguns editores reflectissem sobre isto.

5 comentários:

Carlos Barros disse...

Pequenos, mas honrados. Poderia parafrasear uma panoplia de lugares comuns - não vale a pena.
São os pequenos sentimentos que nos fazem crescer.

Abraços e Parabéns

ritaR disse...

muitos. porque eles estão em todo o lado.
mas cada vez mais irei aos sítios que gosto que existam.

bons dias :-)

Marco disse...

Caro amigo Jaime:

Primeiramente quero dizer-lhe que a PÓ DOS LIVROS é uma “pequena grande livraria.”
Pequena porque é pequena mesmo e grande porque é imensa, gigantesca, por ter o que todo bom cliente de livraria quer: bom atendimento (mais que personalizado até, eu diria), bom preço e coração. Muito coração. Gentilezas que só encontramos nas pequenas casas de livros. O exemplo maior são as suas palavras no post sobre o Manuel Alberto e os preços dos livros, quando diz textualmente: “quem quiser ler gratuitamente pode fazê-lo na Pó dos livros, até temos sofá e um café.”
Esse é um gesto de nobreza peculiar das pequenas livrarias, uma extensão da casa da gente, eu até me arrisco a dizer.
Grandes empresas voltadas para este segmento de mercado não têm tal comportamento, tal decência e muito menos tal humildade que você tão bem expressa quando diz: “Nós sabemos que vendemos pouco, que não representamos nada em termos percentuais nas vendas das grandes editoras ou distribuidoras...”
As “pequenas” são “quentes”, ágeis, humanas. Nelas não se encontra o tratamento árido e distante das grandes livrarias.
O que percebo é que a má gestão de algumas editoras leva à falta de direcionamento nas ações de relacionamento com seu clientes pequenos e por isso mesmo acaba por deixá-las à deriva. Desrespeito total, arrisco dizer.
Quanto a ser relegada a segundo plano e qualificada como de 1ª., 2ª. ou mesmo 3ª. categoria, não creio que deva se importar com isso. Atitudes dessa sua cliente e de muitos outros, tenho certeza, só avalizam a qualidade que oferece em sua empresa. Não conheço (ainda!) a PÓ DOS LIVROS pessoalmente, o que não demorará muito a acontecer, mas o tratamento que dispensou a mim, divulgando o meu livro, que nesse exato momento está sendo lançado aí em Portugal, sem ao menos me conhecer e principalmente sem ter visto o próprio livro acreditando apenas nas minhas palavras denota no mínimo, um bom caráter enorme.
E isso é coração. Isso é gigantismo. Isso é nobreza. E por essa sua forma de pensar e agir (e de todos da PÓ DOS LIVROS, tenho certeza) é que digo que estou à sua disposição para o que precisar em criação de qualquer tipo de peça publicitária (folders, cartazes, marcadores de livros, anúncios para todas as mídias). Farei com o maior carinho sem nenhum custo para a sua empresa. Gentileza gera gentileza e a sua só poder gerar amizades que sem dúvida vão se solidificar cada vez mais.
Grande abraço do Marco.

Paulo Freixinho disse...

Muitos livros, certamente!

Por outro lado, este blogue deixou-me com vontade de fazer uma visita à Pó dos Livros...

Amplexos e ósculos!

Pedro Teias da Ega disse...

Concordo com o que é dito no post e com os comentários posteriores, de uma forma geral.

Temos de tornar as "pequenas" cada vez maiores.

Parabéns