segunda-feira, abril 27

Carta aberta aos leitores desprevenidos em tempos de crise


Caros leitores,

A 79.ª Feira do Livro de Lisboa abre portas no próximo dia 30 de Abril e fecha dia 17 de Maio. Até agora, ao contrário do ano passado, não tem havido polémica. Sei que alguns de vocês não vão resistir ao apelo. Como livreiro, devo alertar os leitores mais desprevenidos para que mantenham os bons hábitos de leitura. Sobretudo nesta época de crise, onde uma visita à Feira do Livro pode pôr em causa toda uma dieta literária, engordando de forma desmesurada as suas prateleiras com livros sem qualquer valor nutritivo, muito prejudiciais para a sua linha e carteira. Para que isto não lhe aconteça, tem de perceber que há livros e livros. Estará seguro se cumprir seis regras essenciais:

1.ª Regra:
Elabore previamente uma lista dos livros que pretende consumir. Tome nota dos seus respectivos autores, editores e preços. Pode fazê-lo na livraria, com a ajuda do seu livreiro. E, lembre-se, os melhores produtos nem sempre se encontram nas grandes superfícies.

2.ª Regra:
Se quiser arriscar e não seguir a primeira regra, então não compre por impulso nem comece pelas novidades. São as mais apetecíveis, mas normalmente também são as mais caras. Deixe-as para o fim.

3.ª Regra:
Não se deixe enganar por preços demasiado baixos. Os livros não são como os remédios. O livro genérico não tem o mesmo composto químico do livro de marca, apesar de alguns terem o mesmo título e autor. Não esqueça a relação preço qualidade.

4.ª Regra:
Observe e manuseie os livros antes de os adquirir. Não se deixe enganar pelos temas uniformizados, capas brilhantes com altos e baixos-relevos, cheias de cores e muito apetitosas, nem com cintas com frases apelativas, autocolantes com muitos números de edição e muitos milhares de livros vendidos. Habitualmente, estes livros só servem para acumular peso, alargando muito as suas estantes. Também não costumam ter qualquer sabor ou valor nutritivo. Costuma-se dizer: «A fruta mais saborosa é aquela que tem bicho.»

5.ª Regra:
Cheire os livros, sinta todos os seus aromas. Depois, com cuidado, prove as contracapas, as badanas, os índices, os cólofons, os prefácios. Se possível, leia as fichas técnicas, onde pode perceber a origem, os componentes e efeitos secundários. Veja o tamanho da mancha, a fonte de letra e a gramagem do papel. Repare também se têm data de validade e selo de qualidade, isto é, autor.

6.ª Regra:
Depois de todas as anteriores regras terem sido cumpridas, resta para escolha muito menos de metade de todos os livros disponíveis. Poderá consumi-los à vontade, na certeza de que levará para casa um produto de qualidade. Acrescento que alguns devem ser consumidos de imediato, engolindo-se de uma só vez. Não se preocupe - são mesmo feitos para isso e não fazem mal. Outros são para saborear, mastigar, digerir devagar. Dê tempo ao seu organismo para que absorva todos os nutrientes de forma a alimentar corpo e de uma maneira saudável e equilibrada.

Desejo-lhe uma boa Feira do Livro.

Lisboa, 27 de Abril de 2009


Jaime Bulhosa

7 comentários:

Pedro Lopes disse...

boas palavras

{anita} disse...

obrigada pelos conselhos ;)

Vanda disse...

Gostei muito do texto, está bem escrito!
Obrigada pelos conselhos :)

Nídia disse...

Ora aqui está uma óptima prescrição! :)

fallorca disse...

Mais 4 conselhos e entrava para os Decálogos :)

llyra disse...

Muito bons conselhos!:)

Hoje fui dar uma olhadela na feira do livro que tem estado na estação de metro do Cais de Sodré. Tem sobretudo livros "usados" (se é que o termo se pode aplicar aos livros) e alguns nem em bom estado estão, mas mesmo assim têm preços muito superiores aos que tenho visto noutros sítios onde encontro os mesmos livros usados. Por isso cuidado: só porque têm um autocolante a dizer "Preço Amigo", não quer dizer que seja amigo do leitor!

maiia disse...

Sem dúvida óptimos conselhos.
Acho que já lá vai o tempo em que as feiras do livro tinham preços fantásticos :(