segunda-feira, abril 27

Literatura: Obra de António Lobo Antunes é "obsessivamente local e preocupada com males da história portuguesa" - The New Yorker

De acordo com uma notícia hoje no expresso a revista literária norte-americana The New Yorker publica hoje online um longo artigo sobre o escritor português António Lobo Antunes, cuja obra descreve como "obsessivamente local, preocupada com os males herdados da história portuguesa e as debilidades da sua cultura".
"Ele visa - escreve Peter Conrad, o autor do artigo -, tal como Stephen Dedalus [do "Ulisses", de James Joyce] chamando a si os inimigos da Irlanda, ser uma consciência nacional, lembrando aos seus recentemente europeizados, untuosamente prósperos compatriotas, o legado de culpa do seu vergonhoso passado deixado pela ditadura de António de Oliveira Salazar, que dirigiu o país entre 1932 e 1968, e pela brutalidade do seu regime colonial em África".
Em confronto com Lobo Antunes, o articulista coloca José Saramago, que, ao contrário daquele, situa quase sempre as suas narrativas "em países não identificados ou imaginários" e as faz "facilmente partir em direcção à universalidade".

Um comentário:

Fragmentos Culturais disse...

... tenho que dar razão ao cronista do TNY! Lobo Antunes não se 'livrou' de seus 'fantasmas' da guerra colonial! Também não é fácil!
Saramago tem um passado bem diferente!