quinta-feira, maio 7

Desespero do escritor em tempos de feira


Em tempos de Feira do Livro não lhe faltará oportunidade para conseguir o autógrafo de um escritor. São muitos os que por lá se vêem a cumprir essa “obrigação”. Que por vezes aparenta ser penosa, principalmente para aqueles que são ainda novatos e menos populares. Sentados junto dos seus editores, com um ar muito aflito, com medo de que não apareça ninguém, vemo-los com aquelas caras, de quem a qualquer momento vai gritar: «Socorro, tirem-me daqui!»
Não sei o que pensam os escritores nestas ocasiões, mas poderá muito provavelmente ser mais ou menos como se segue:


O que o leitor diz: Estou sempre ansioso para que os seus livros cheguem às livrarias.

O que o escritor ouve: Nunca pagaria um tostão por esta porcaria.

O que o leitor diz: Vim cá de propósito.

O que o escritor ouve: O editor obrigou-me a vir cá.
-
O que diz o leitor: É para oferecer ao meu marido.
-
O que ouve o escritor: Pode ser que leia qualquer coisa para além da Bola.

O que o leitor diz: Disseram-me para o ler na escola.

O que o escritor ouve: Contra a minha vontade. Ou: Provavelmente nunca o teria lido. Ou: Porque é que não estás morto.

O que o leitor diz: Não é nada parecido com as fotografias.

O que o escritor ouve: É muito pior.

O que o leitor diz: Você é tão prolífico.

O que o escritor ouve: Você escreve demais, é tão repetitivo e dá-me um sono...

O que o leitor diz:
Eu também vou escrever um livro, quando arranjar tempo.

O que o escritor ouve: O que você escreve é tão banal que qualquer idiota o consegue fazer.

O que o leitor diz: Eu apenas leio os clássicos.

O que o escritor ouve: E você não é um deles.

O que o leitor diz:
Porque não escreve acerca de____?

O que o escritor ouve: Em vez das coisas chatas sobre o que escreve.

O que o leitor diz:
O livro do Saramago vende que nem ginjas.

O que o escritor ouve: Ao contrário do seu.

O que o leitor diz: Então também dá aulas?

O que o escritor ouve:
Sim, porque escrever não é bem um trabalho a sério.

O que o leitor diz: Sabe, a minha vida dava um livro.

O que o escritor ouve: Já a sua…
-
Jaime Bulhosa

7 comentários:

Tânia disse...

Muito bom, como sempre.

Sara disse...

Que maldade

{anita} disse...

também já dei por mim a ter pena daqueles escritores... deve ser uma sensação tão estranha!...e não aparecer ninguém deve ser demolidor! Eu pelo sim pelo não, levava um livrinho para me entreter...

CNS disse...

Excelente!

Anônimo disse...

Para quando o Jaime Bulhosa sentado na Feira à espera de assinar o «Pó dos Livros, o Livro»? :)

A estranha disse...

É bem a verdade mesmo...eu bem sei o que é lançar um livro e não ser famosa!!! E o que o escritor ouve...

Pedro Seromenho disse...

Fantástico, direi eu. Que graxista, ouvirá você. Parabéns pelo blog.