terça-feira, junho 16

Política, Auto-ajuda, Ciência, Psiquiatria - as secções de Pedro Mexia.


À semelhança de uma biblioteca, os livros numa livraria devem ser classificados e posteriormente arrumados nas respectivas secções, de forma que o leitor ou o próprio livreiro possa vir a encontrá-los facilmente no meio de milhares de outros livros. Esta tarefa pode ser mais complicada do que parece à primeira vista. Em primeiro lugar, porque nem sempre o tema do livro é facilmente identificado, ou porque o livro não versa apenas sobre um tema, ou então não é de todo classificável. Em segundo lugar, a classificação de um livro, em muitos casos, requer mais do que a simples leitura do título. Ora, é aqui que se encontra o busílis para os livreiros mais apressados.
Arrumar livros conhecendo apenas os seus títulos dá azo a situações deveras caricatas, como no caso daqueles cuja arrumação pode ser já considerada um clássico: a Confissão de Lúcio, de Mário de Sá-Carneiro, obra capaz de assustar qualquer freira mais desprevenida, arrumado na religião; Arte de Jardinar, de Y.K. Centeno, arrumado não preciso dizer onde.
Mais recentemente, encontrei numa livraria de renome o Efeito Borboleta, de José Mário Silva, arrumado na secção de divulgação científica. Há uns dias, na Fnac de Santa Catarina, no Porto, encontrava-se o último livro de Pedro Mexia – Estado Civil. Diário de Uma Crise, baseado no blogue Estado Civil - arrumado junto dos livros Os Anos Sócrates, de Fernando Sobral, e o Manifesto do Partido Comunista, de Karl Marx. Percebo a confusão: as palavras Crise e Estado devem ter ajudado a transformar Pedro Mexia num politólogo (não é por acaso que ele faz parte do programa de rádio Governo Sombra). Já agora, não me custa nada acreditar que outros livros de Mexia se encontrem em lugares surpreendentes: Nada de Melancolia na secção de auto-ajuda; Prova de Vida junto de A Origem das Espécies, de Charles Darwin; Fora do Mundo na psiquiatria ou ainda o Em Memória na secção dos obituários.
-
Jaime Bulhosa

3 comentários:

Tânia disse...

Gosto tanto de o ler q não posso deixar de alertar para o "há semelhança"... Desculpe...

Pó dos Livros disse...

Ups! Obrigado.

menina limão disse...

eheheh, delicioso.