quinta-feira, agosto 13

Merda d'artista

Gianfranco andava obcecado com o conteúdo das pequenas latas criadas por Piero Manzoni em 1961. Queria abrir uma para saber se eram mesmo as fezes do artista que estavam lá dentro.
O autor vê-se então envolvido numa aventura bizarra que é também uma viagem pela arte mais subversiva e incompreendida do século XX.
---
---
« - Sim, mas no caso da "Merda d'Artista" entra-se no domínio do simbólico. As excreções do corpo são sujas, desprezíveis, depreciadas, por oposição ao ouro que é belo, apetecível, de grande valor. A merda, os dejectos do corpo, continuam a ser um grande tabu nesta nossa cultura de aparências.
- Talvez, mas isso são interpretações, a ideia de Manzoni é objectiva: a merda do artista vale ouro. O que está próximo de Kurt Schwitters, o malogrado fabricante de Merzbaus, quando dizia que tudo o que o artista mija é obra de arte. Os nazis deram-lhe cabo das obras que realizou na Alemanha. Morreu na miséria em Londres e como se isso não bastasse, os descendentes, uns idiotas, rejeitam a sua obra e na linha dos fascistas dizem que aquilo não é arte e querem destruir tudo.
Ninguém sabe quem é ou o que faz um artista, porque o reconhecimento é a forja da banalidade. Um artista é um ser humano excepcional, louco, insuportável, intolerante, com um ego desmedido que vive obcecado com o desejo de ser melhor do que todos os outros, fazer algo que nunca ninguém realizou antes ou imaginou. Sem este tipo de paranóia, a arte fica-se pelo artesanato ou pelo jeito, coisas objectivamente menores. "O génio é aquele que de forma mais intensa, mais vívida, mais consciente, mais continuada, exprime o seu enorme ego", avisou Otto Weininger há mais de cem anos. Muito poucos o entenderam até hoje.»
---
Título: 30 Gramas
Autor: Leonel Moura
Edição: LxXl, 2009
ISBN: 9789728615055
PVP: 9,00€

Nenhum comentário: