segunda-feira, agosto 17

O autógrafo

«Num caloroso meio-dia uma rapariga pediu um livro de êxito. Antes que o embrulhassem o Dr. Sánchez, cliente habitual que estava lendo junto à caixa, tomou um ar displicente e disse à jovem atónita:

- Permita-me que lho dedique? Sou o autor.
E antes mesmo de esta lhe poder responder, já havia escrito: «À minha doce amiga…» - Como é o seu nome?

O Dr. Sánchez era capaz de autografar, sempre como autor, livros de Homero, Platão e Pascal.»


Memorias de un librero, Héctor Yánovar

Jaime Bulhosa

Um comentário:

ecila disse...

Yánover
(muito bom excerto)