quinta-feira, setembro 24

No domingo vou votar, só não sei em que círculo



A Divina Comédia («Comédia» não porque tenha qualquer tipo de graça, mas porque termina bem, no Paraíso, e naquela época o termo usava-se em oposição à Tragédia) de Dante Alighieri é constituída por três partes: «O Inferno», «O Purgatório» e «O Paraíso». Deixemos as últimas duas partes e centremo-nos na primeira: O Inferno de Dante é constituído por Nove Círculos, onde se encontram Três Vales, Dez Fossos e Quatro Esferas. Essa organização foi baseada na teoria medieval de que o universo é formado por círculos concêntricos. Dante descreve-nos o Inferno como um cone invertido, localizado no interior da Terra. Os seus nove círculos estão dispostos uns sobre os outros de acordo com uma hierarquia de pecados, onde no início se encontram os pecadores menos graves e no fim, ou cada vez mais nas profundezas da terra, os pecadores mais graves. À medida que o poeta Virgílio acompanha Dante na descida pelos infernos, desde o primeiro círculo, O Limbo (círculo onde se encontram aqueles que nasceram antes de Cristo e os que não foram baptizados e que não são propriamente pecadores, mas também não podem ir para o Céu, pois não tiveram fé em Cristo), até ao nono e último círculo, onde se encontra Lúcifer; nós, leitores, vamos tomando consciência da diversidade e gravidade dos pecados e pecadores possíveis de encontrar.
O que é que isto tem que ver com o facto de eu ir votar no próximo domingo: nada, até porque não acredito no inferno de Dante. Contudo, não pude deixar de fazer algumas associações entre as almas condenadas de Dante e os nossos políticos do passado e do presente. Pondo de parte qualquer hipótese de eles poderem concorrer pelo Purgatório e muito menos pelo Paraíso, concluo que no domingo vou votar para um círculo do Inferno. Qual? Isso eu não sei.

-
Jaime Bulhosa

Um comentário:

josé luís borges de almeida disse...

Já somos 2!

(ou seja, à beira da maioria...)