terça-feira, setembro 8

Os cinco maiores romances de sempre


Em Busca do Tempo Perdido, Marcel Proust – 3.000.000 de palavras
Atlas Shrugged, Ayn Rand – 645.000 palavras
Guerra e Paz, Lev Tolstoy – 560.000 palavras
Infinite Jest, David Wallace – 479.198 palavras
O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas – 464.234 palavras
--
Jaime Bulhosa

8 comentários:

Claudia Oliveira disse...

Maiores não é sinonimo de melhores, certo?

Sara disse...

é com orgulho que digo que li 2 deles: o conde de monte cristo e guerra e paz!

fallorca disse...

Acho que só li ou vi O Conde ou o Filho do Conde Monte Cristo. Chumbei, é a vida...

ABS disse...

A Alexandra Dumas foi efectivamente uma grande escritora! ;))

ABS disse...

Agora fora de gozo, O Proust só é o maior se contarmos a "Recherche" integral; a aceitarmos esse critério existem outras séries de grande dimensão e qualidade, nomeadamente na área da ficção científica e de fantasia. Estou a pensar nos cinco livros da série "Dune", de Frank Herbert, ou os três volumes de "O Senhor dos Anéis" (mesmo sem as variações posteriores) só para citar dois exemplos.

Pó dos Livros disse...

Obrigado ABS pela correcção.

ABS disse...

Ahem. Peço desculpa de ser um chato, mas deu-me para aqui hoje. Estava com a sensação de que faltava aqui um livro. Lembrei-me e fui confirmar. O notável "A Suitable Boy", de Vikram Seth, Commonwealth Writers' Prize de 1994. Segundo a Wiki, 591.552 palavras.

Anônimo disse...

E "Os Miseráveis"?