sexta-feira, outubro 23

O poeta


Esta história não se passou na Pó dos Livros, mas podia perfeitamente ter-se passado. Tanto os nomes das pessoas como o título do livro são ficcionados.

Entra um homem de meia-idade com um semblante que nós, livreiros, de imediato identificamos como o estereótipo do Poeta.

- Bom-dia.
- Bom-dia. Em que posso ser-lhe útil?
- Eu sou autor de um livro e aqui há uns meses deixei uns exemplares em consignação nesta livraria. Gostaria de saber quantos exemplares se venderam?
- Como se chama?
- João Trindade
- Não, referia-me ao título do livro.
- Sentimento Inescrutável.- Deixe-me adivinhar: é poesia?
- Sim, é uma dedicatória ao amor.

O livreiro pesquisa no computador.
- Ora aqui está! Infelizmente não se vendeu nenhum e mantêm-se os seis exemplares que deixou.
- Deve haver algum equívoco! Eu apenas deixei cinco exemplares!…
- Vamos confirmar.
O livreiro, voltando-se para o colega, pergunta:
- António! Vê aí por favor, na secção de poesia, quantos exemplares existem do livro Sentimento Inescrutável, de João Trindade?

Passado uns segundos:
- Seis exemplares.
- Confirma-se.

O autor, incrédulo.
- Não pode ser! Eu tenho a certeza de que só deixei cinco exemplares.
- Desculpe, não leve a mal, mas provavelmente alguém veio aqui deixá-lo ou trocá-lo por outro, quem sabe?...

Do fundo da livraria o, António diz:
- Há um que tem uma dedicatória.

Ao mesmo tempo o livreiro e o poeta:
- E o que diz?
- Para a minha esposa com todo o amor, porque sem ela não teria sido possível escrever este livro (...).

Jaime Bulhosa

6 comentários:

josé luís disse...

não percebo a etiqueta "pequenas estórias"... quando esta é uma "enorme estória"
-
e agrada-me imaginar um dos irmãos pessoa (ricardo ou álvaro ou até o próprio fernando) a ser o protagonista deste episódio...
ah ofélia, como pudeste?!!

Pedro Concy disse...

Olá,como vai?
Eu sou o Pedro Concy. Estou desenvolvendo uma empresa que desenvolve atividades divertidas e inovadoras a fim de estimular hábito de leitura entre as crianças.
Achei que você pudesse se interessar por algum de nossos métodos, e , com sua experiência, poderia contribuir com novas ideias para atrairmos os baixinhos ao fantástico mundo da leitura.
Nosso projeto pode ser visto em http://www.estantemagica.com.br .
Fique à vontade para comentar, criticar, sugerir e questionar.
Abraços,
Pedro Concy

Atlantico Central disse...

soberbo :)

Pax Domine disse...

Parabéns ótimo blog! Se você gosta de histórias da mitologia divertidas e emocionantes da era medieval de uma olhadinha no meu:

http://transcendent-world.blogspot.com/2009/10/transcendent-world.html

Alice, só Alice disse...

Boa história,pobre poeta

Gosto do blog e hei-de visitar a "Pó dos Livros"

Anônimo disse...

Tenho um conto publicado em uma antologia de autores que estão querendo se lançar no mercado... Mas sabe que morro de Vergonha de vendê-los? Na época comprei 50 exemplares da editora para ir vendendo no comércio que meu pai tem... Tenho pavor de alguém chegar e ficar perguntando ao meu pai quem é que escreveu, que quer me conhecer, que diz que escreve poesia. Tenho pavor porque o que escrevi é por demais ruim! Ah, se eu pudesse voltar no tempo, e não escrever aquilo, meu Deus


Dani