terça-feira, novembro 3

Comentário ao post anterior "Pseudo-editoras"

Achámos pertinente publicar este comentário, não pelo elogio que nos faz mas pela importância da denúncia.
-
«Muito bom post! Fico contente por os próprios livreiros denunciarem a situação destas "pseudo-editoras" que têm proliferado assustadoramente nos últimos anos, graças a Internet e facilidades de impressão digital. Tenho desenvolvido uma certa cruzada contra essas pseudo-editoras, e ainda recentemente encontrei mais um exemplo péssimo vindo do Norte (não sei bem porquê, mas a maioria destas empresas estão sedeadas no Norte) em que se promovia um concurso de conto e poesia com direito a publicação numa "antologia de talentos". Ora foram seleccionados 80 (!!) autores que foram encafuados numa edição péssima, sem revisão, sem paginação digna desse nome. Preço final: 20 euros. Os autores não tinham direito a um exemplar grátis. O pagamento dos direitos equivalia apenas a um desconto de 20% com prazo de validade de 1 mês... É inacreditável a desfaçatez! E a pseudo-editora promoveu uma festinha de lançamento em que à custa de venda de exemplares a autores não só pagaram os eventuais gastos que tenham tido, como ainda meteram €€ no bolso. E quando se pergunta onde anda essa antologia à venda, ninguém sabe responder... E há muitos outros casos. Dói-me ver pessoas que não têm noção de como o mercado de edição funciona a serem completamente roubadas por esses esquemas gananciosos e desonestos. Se algumas não passam dos 250 a 300 euros outras há as que têm assumido uma fachada bem mais sofisticada e cobram valores na ordem dos 1000 euros para cima. Não ajuda o facto de as vantagens do sistema POD estarem constantemente a serem enfiadas no mesmo saco dessas empresas que recorrem a esse tipo de impressão. Uma coisa é o sistema que é bom, outra coisa é o aproveitamento desonesto que se faz desse sistema. Isto tem muito que se lhe diga, mas é urgente lançar o alerta aos leitores e aspirantes a escritores incautos. No estrangeiro, o trabalho de vanity-presses já foi mais do que denunciado, mas em Portugal ainda há muito a fazer.»
-
Safaa Dib

2 comentários:

moço disse...

Sobre esse assunto, vale a pena ler este post do valter hugo mãe:

http://casadeosso.blogspot.com/2008/03/para-divulgao-publico-email-recebido-4.html

A carta é a mesma para toda a gente - também a recebi. Basta ter um blogue com o endereço de mail visível - seja-se autor premiado ou ilustre desconhecido, eles não dão pela diferença, marcha tudo sob a mesma tanga.

Papagaio Mudo disse...

oi,

Isso é uma iniciativa ou um necessidade?
Abraço Forte.

Gustavo