quarta-feira, janeiro 13

Clientes especiais II

- Minha senhora, eu percebo que esteja aborrecida por nenhuma livraria a conseguir ajudar…

- Olhe! Com esta já são cinco.

- Sim, mas dizer simplesmente que o livro começa por “Era uma vez” não é lá uma grande ajuda, pois não?

7 comentários:

Avelaneira Florida disse...

Mais uma delícia de estória!!!!

Obrigada!!!!

jaa disse...

Eh pá, eu sei que livro é esse... É o... Caramba, está mesmo debaixo da língua.

Se me lembrar, volto a dar notícias.

Anônimo disse...

Um casal:

- Mulher: Desculpe, tem o Smoke do Paul Anka?
- Homem: Oh estúpida, qual Paul Anka, Polanski!
- Livreiro: O Smoke do Paul Auster? É um filme, se há o argumento editado não temos.

Margarida disse...

LOL!
(ei! 'jaa', por aqui?!... acaba por já nem ser bem 'les beaux esprits se rencontrent' mas mais 'les esprits se rencontrent dans les beaux endroits !!
:))

Anônimo disse...

Nas bibliotecas é comum pedirem livros azuis, vermelhos, amarelos... É só nos resta iniciar a viagem que promove o diálogo com o leitor. Sem os clientes especiais não aprendemos nada. Os outros só querem o livro x. E o que fazer com os outros? Cabe ao livreiro conhecê-los e apresentá-los.

Os Saboridas disse...

Esta história (e os comentários...) lembram-me os episódios passados na farmácia da minha mãe, quando entrava um cliente e pedia uns comprimidos amarelos pequeninos para as dores do peito...

rodaisso disse...

É o prato do dia nas livrarias os clientes especiais :-) e ainda há os especialissimos :-(