sexta-feira, março 19

Dia do pai


Quando Vasco tinha apenas quatro anos, tínhamos acabado de abrir a Pó dos livros, no regresso a casa pela tarde, perguntava-me sempre:

- Pai quanto custou hoje a loja?

O que ele queria dizer era:

- Quanto vendeste hoje? Eu respondia-lhe 1000.

- Fogo pai!... Estás quase a chegar ao infinito…

Jaime Bulhosa

6 comentários:

sofia wahnon disse...

muito lindo... o meu filho também tem quaquer coisa com o infinito, ele nunca se cansa de tentar.
feliz dia!

Mafalda Branco disse...

Lindo... a relação entre pai e filho é sempre de uma ternura inexplicável.
Feliz dia para si e para o Vasco!

Pó dos Livros disse...

Obrigado Mafalda.

Jaime

Luís Miguel Barros disse...

Lindo! Parabéns ao filho, ao pai e à Pó dos Livros!

carocha disse...

Simplesmente... delicioso!

C.M. disse...

Delicioso!