terça-feira, março 2

Livros anónimos

Há qualquer coisa de misterioso nos livros em segunda mão que me fascina - o facto de transportarem, por vezes, dentro de si, objectos, cartas, pequenas histórias particulares que, juntamente com outras, constituem a nossa História colectiva. Se nós pudéssemos, à semelhança de Italo Calvino, que inventou, para as suas cidades e diálogos imaginários, fios estendidos de cores diferentes ligados a cada um de nós, se pudéssemos, como dizia, à medida que nos vamos movimentando e cruzando na vida, seja por um mero encontro casual, um namoro, uma amizade ou uma relação profissional, ir deixando no meio desses imensos entrelaçados e emaranhados de fios uma ponta que nos desse a possibilidade de os seguir, podendo reconstituir, dessa forma, facilmente, o nosso passado... Pena é que a grande maioria dos fios que nos ligam sejam invisíveis. Se assim não fosse, poderia rapidamente matar a curiosidade de saber quem eram as pessoas da fotografia encontrada no interior deste livro comprado em segunda mão pela Pó dos Livros e que, provavelmente, serviria apenas como marcador da obra de Charles Dickens com o título em português A Guilhotina, publicado pela Inquérito em 1947, com uma dedicatória na fotografia, datada de 9 de Setembro de 1928, assinada por Maria Natália Silva Duarte e Francisco Duarte. É-me difícil deixar de pensar quem seriam estas pessoas, como terá sido a sua vida e quais seriam as suas relações com o antigo proprietário deste livro. Imagino o espanto que seria alguém que me esteja a ler, reconhecer na fotogfrafia os pais, avós ou mesmo os seus bisavós.


Nota: Vale a pena seguir este link: http://www.forgottenbookmarks.com/

Jaime Bulhosa

4 comentários:

C.M. disse...

"Talvez um dia alguém os encontre num alfarrabista, com o nosso nome, as nossas notas à margem, os nossos sublinhados... e aí interrogar-se-ão: quem seria?"

Escrevi há dias pensando precisamente nestes "pormenores" da vida tão frágil...

{anita} disse...

"É-me difícil deixar de pensar quem seriam estas pessoas, como terá sido a sua vida e quais seriam as suas relações com o antigo proprietário deste livro". Conheço perfeitamente essa sensação, sou assumidamente fascinada por coisas encontradas dentro de livros e uma das coisas que mais me encanta num livro em segunda mão é a possibilidade de me encontrar com a pessoa que o leu antes de mim, quer através dos rabiscos ou sublinhados que possa ter deixado, quer pelos objectos esquecidos dentro do livro (e já encontrei coisas muito, muito bizarras... aliás, já cheguei a comprar livros só pelo "recheio").
felizmente a internet tem-me mostrado que há mais gente com o mesmo "fetiche"...
já conhecem este blog?
http://www.forgottenbookmarks.com

Pó dos Livros disse...

Obrigado anita pelo link.

Patty disse...

Também eu adoro livros em segunda mão.
Compro-os na Galileu, em Cascais, e vibro com as assinaturas com data, as dedicatórias, os bilhetes de metro a marcar, uma carta mais pessoal que lá ficou perdida mas a qual não tenho coragem de ler...