segunda-feira, abril 26

Sobre o plágio


Um livreiro com um pouco de curiosidade lê tantas pequenas coisas, uma citação aqui, uma frase ali, um livro acolá, que às tantas perde a noção e já não sabe se aquilo que pensa é seu ou somatório de tudo o que leu. E, mesmo que pense que não é seu, já não faz ideia da fonte. Mas, também, quem é que sabe o que é de quem?

Livreiro anónimo

3 comentários:

fallorca disse...

««De facto, o que escrevi não contém, em particular, nenhuma pretensão a novidade; e assim não indico quaisquer fontes porque me é indiferente se o que pensei já foi pensado por outrem antes de mim.» (Ludwig Wittgenstein)»
Toma lá, embora com a fonte indicada :)

Pó dos Livros disse...

Fallorca,

Pronto! Agora já sei onde li.;)

Jaime

fallorca disse...

Para a próxima, guias-me tu. Não acho que se leia demais, duvido é que tenhamos tempo para absorver tudo o que lemos, mas também não interessa... Haja Livros!
Abç