quarta-feira, junho 23

História da Humanidade


Há uns meses, estive no Egipto, na cidade do Cairo, junto da grande pirâmide de Gize, e tive o privilégio de ouvir e estar, com um dos mais respeitados egiptólogos portugueses. Outro dia, calhando em conversa com a minha sobrinha, a propósito de um trabalho escolar para a disciplina de Educação Visual, cujo tema era a pirâmide de Gize, resolvi, como qualquer tio chato, repetir como um papagaio, a palestra que tinha ouvido do famoso egiptólogo:

«[…] a mais antiga e única das sete maravilhas do mundo antigo, ainda intacta é a maior das mais de 80 pirâmides que existem no Egipto, construída em honra do faraó Quéops, por volta de 2560 a.C. Situada nos limites do Cairo, na margem ocidental do Nilo, e flanqueda pelas ligeiramente mais pequenas pirâmides de Quéfren e de Miquerinos, contém cerca de 2,3 milhões de blocos de pedra calcária compacta, alguns com mais de três toneladas de peso. Cada lado mede, na base, 230 metros e, apesar da erosão e outros danos terem reduzido a sua altura original em cerca de 10 metros (actualmente mede 135 metros), a pirâmide foi, até ao século XIX, a estrutura mais alta do mundo. O esforço envolvido na construção das pirâmides – foi dito a Heródoto que estiveram envolvidos mais de 100 mil homens e que muitos deles morreram sem perceber bem para quê –, tem intrigado os estudiosos desde então, sobre o verdadeiro significado e utilidade das pirâmides. Os egiptólogos tem dito que as pirâmides do Egipto são imensamente grandes, imensamente antigas e, como é do consenso geral, extremamente inúteis. O que interessava não era a pirâmide, mas construir a pirâmide.»

- Sabes, ao reflectir sobre isto, não pude deixar de fazer o paralelo, entre este momento histórico e todo o significado e finalidade da História da Humanidade. Percebes o que eu quero dizer, Carolina?

A minha sobrinha, depois de abrir a boca num grande bocejo, responde:

- Não tio! Só para o ano é que vou ter Filosofia.


Jaime Bulhosa

4 comentários:

Cronopio disse...

Jaime se realmente disse tudo o escreveu (mais o […]inicial) sobre a pirâmide de Gize, merecia um bocejo da sua sobrinha.

Já agora, explique, se quiser, o paralelo que fez entre aquele momento histórico e todo o significado e finalidade da História da Humanidade.

Um abraço,

Cronopio

Miguel disse...

Boa tarde Jaime,

...pois a tua sobrinha tem toda a razão.

A Educação Visual interessa-se pelos objectos e as suas representações espacial e não pela essência dos mesmos.

Por outro lado a tua sobrinha demonstra muito bem uma característica tipica feminina, audição/interesse selectiva/o.

Um abraço

Pó dos Livros disse...

Cronopio,

Sem dúvida, merecia mesmo. ;)

jaime

Jeremias disse...

Não apressemos a construção da História, nem das Carolinas. Talvez para o ano a pedra encaixe.