terça-feira, junho 1

Os livros não mexem


Uma vez pediram-me para contar uma lição de vida, aprendida a trabalhar em livrarias. Respondi que talvez tenha sido a de verificar que existem pessoas que praticam a ignorância de livre e espontânea vontade. Sempre me intrigou o caso de duas pessoas com a mesma profissão, vindas de meios sociais semelhantes, ambas com acesso privilegiado a uma biblioteca, em que uma lê e a outra não. Quando penso nisso, lembro-me sempre da fábula do sapo que morre de fome impossibilitado de se alimentar, quando à sua volta tem um monte de moscas mortas, prontinhas a comer. No entanto, é verdade que um sapo tem o cérebro superdesenvolvido para caçar moscas em movimento, mas, infelizmente, é incapaz de ver aquilo que não mexe.


Jaime Bulhosa

6 comentários:

Antes Prefiro disse...

os livros não mexem, mas há livros que mexem connosco :)

gemanai disse...

Gostei muito deste pensamento.

Eduardo F. disse...

Muito bem, Jaime.

Anônimo disse...

Seve disse...

Lá está: Dá Deus nozes a quem não tem dentes!

olindg disse...

Ai Ai Ai... tantos exemplos que infelizmente conheço

fallorca disse...

Dá cá um abraço :)