quarta-feira, junho 9

Wit - ensaios humorísticos

Este livro reúne um conjunto de textos a que chamamos “ensaios humorísticos”, designação que, tendo em conta a relativa má reputação do humor e dos humoristas pode, à primeira vista, constituir um oximoro. E, no entanto, é de ensaios humorísticos que falamos aqui – até porque, além de tudo o mais, Benchley foi uma espécie de enciclopedista do humor. A sua produção é tão vasta e variada que parece não ter sobrado nenhum tema no qual ele não tenha detido um olhar humorístico: quer os temas mais fáceis e acerca dos quais toda a gente tem opinião (como a morte, o amor, ou a guerra), quer os temas mais difíceis, e sobre os quais – não por acaso – os filósofos têm tido mais relutância em reflectir (como a febre dos fenos, as enguias ou as casas de banho). O seu amigo James Thurber diria que um dos maiores medos de qualquer humorista era passar três semanas a trabalhar numa ideia e depois descobrir que Benchley já tinha feito o mesmo mas melhor e mais depressa. […] Robert Benchley foi um humorista a quem os mestres chamavam mestre. Não é para todos.

do prefácio de Ricardo Araújo Pereira

edição: tinta-da-china -.- título: Wit - ensaios humorísticos -.- autor: Robert Benchley -.- tradução: Júlio Henriques -.- Coordenador da colecção: Ricardo Araújo Pereira -.- formato: 13,8x21cm (capa dura) -.- n.º pág.: 357 -.- isbn:9789896710309 -.- pvp: 22.90€

Um comentário:

josé luís disse...

... finalmente, benchley.

... e tem aforismos (quase) tão bons como os de oscar wilde.
adoro este: «i have tried to know absolutely nothing about a great many things, and i have succeeded fairly well».
;)