segunda-feira, julho 12

Avarentos e cromáticos



Há muitos, muitos anos, havia um "excelente" cliente, baixinho, gordinho, muito rico e avarento que só comprava livros com dimensões 12x18cm (por serem os mais baratos) e em tons de azul. Essa era a distância entre as prateleiras das caríssimas (dizia ele, escolha de sua mulher) estantes da biblioteca e os tons condizentes com o papel de parede.
- Como eu gostava de ler alguns destes.
Suspirava o cliente, enquanto nitidamente se contorcia de dor, por não poder comprar alguns livros de cores diferentes.
- O que fazer? Quando não se pode, não se pode!
Eu bem tentei convencê-lo que os de tons verdes e vermelhos iam bem com os de azul e o preço era exactamente o mesmo, mas de nada serviu. O cliente Justificava:
- Não tenho manias, mas infelizmente a cor é uma exigência da minha esposa.

Jaime Bulhosa

3 comentários:

{anita} disse...

a propósito:
http://anitanoalfarrabista.blogspot.com/2010/07/lido-num-livro-que-so-mesmo-para.html

josé luís disse...

... e também há aquela história do cliente avarento que queria comprar só 1 metro e 20 centímetros de certa enciclopédia, com bela encadernação e lombadas a dourado...

(1,20 m era a largura da estante)


p.s. o post era sobre avarentos e a verificação de palavras pede-me que escreva "grana"... será mera coincidência?

fallorca disse...

Não inventes...