sexta-feira, agosto 27

Epigrama

A vida é como um livro. O título, o baptismo. O índice, as esperanças vãs dos progenitores. O prólogo, a infância. O enredo, uma longa errata cheia de gralhas e erros. O apêndice, a velhice. O Epílogo, a morte. O pior é que não se pode fazer segunda edição.

Livreiro anónimo (ideia tirada de um poema de R.J. Crespo)

Um comentário:

Kássia Kiss disse...

Pois não! Nem que se trate de um best-seller...