quarta-feira, agosto 25

Ler em silêncio


Pai, estás a ler para dentro da cabeça?

Madalena, 3 anos

Ambrósio era um leitor extraordinário. «Quando ele lia», disse Santo Agostinho. «os seus olhos esquadrinhavam a página e o seu coração procurava o sentido, mas a sua voz mantinha-se em silêncio e a sua língua não se movia. Qualquer pessoa podia chegar até ele livremente e as visitas não eram normalmente anunciadas, de forma que, muitas vezes, quando o vínhamos visitar, encontrávamo-lo a ler assim, em silêncio, pois nunca lia em voz alta.»

[...] Para santo Agostinho, contudo, tal forma de ler parecia suficientemente estranha para merecer um registo nas suas “Confissões”. Pode deduzir-se que este método de leitura, este escrutínio silencioso da página, era no seu tempo algo fora do comum e que a leitura normal se realizava em voz alta. Embora se possam encontrar exemplos de leitura silenciosa em datas anteriores, foi somente no século X que esta maneira de ler se tornou usual no Ocidente. […]

Manguel, Alberto, Uma história da Leitura, Editorial Presença (1998)

Nenhum comentário: