quinta-feira, agosto 26

Life's is too short to read a bad book


Uma livraria não é um local que convide muito à frequência de bêbados. Mas, cada vez mais livrarias têm um café e, esse facto, pode levá-los ao equívoco. Há uns anos, numa livraria com café onde eu trabalhava, um homem já velho de livro debaixo do braço e completamente alcoolizado – notava-se à distância só pelo cheiro –, entra, atraído pelo reclame da rua que dizia Livraria/Café. O colega que estava a meu lado atende-o.

- Faça favor, que deseja?

- Ora aqui tem um local que junta o útil ao agradável.

O livreiro desviando a cara para o lado por causa do bafo de Baco, agradece e volta a perguntar.

- Muito obrigado, mas qual é o livro é que deseja?

- O livro, já eu aqui tenho. O que eu quero é um copo de vinho.

O meu colega, um pouco irritado e com alguma maldade, pergunta-lhe:

- E qual dos vinhos prefere, do puro ou do aguado?

Sem demorar muito a responder, o homem com uma sabedoria literária, diz:

- Sabe, tanto me faz, o vinho a mim cai-me todo bem. Já a água… nem por isso, é como a má literatura.


Jaime Bulhosa

3 comentários:

fallorca disse...

Chama-lhe bêbado, chama...

Beatrix Kiddo disse...

:) bela história

Chronic Writer disse...

Bêbado, mas nem tanto! :D