segunda-feira, agosto 16

Sonho de Uma Noite de Verão

Tive um sonho: sonhei que me encontrava a ler Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, numa sala enorme, toda branca, com paredes e tecto de um branco fulgente que fere os olhos, como aquele branco que se vê nos filmes para melhor transmitir a sensação de sonho. A sala não tinha janelas, no entanto, era iluminada e completamente despida de móveis ou objectos. O chão era composto por grandes mosaicos de mármore de Carrara, uns brancos, outros negros, formando um colossal tabuleiro de xadrez. Em cada mosaico encontrava-se alguém que conheço, uns vestidos de preto e outros de branco; cada um representava uma peça de xadrez: os peões, as torres, os cavalos, os bispos, etc. No meio deste cenário completamente minimalista, inesperadamente, encontrava-se no lugar da rainha branca a minha sobrinha Madalena, de três anos, vestida de rosa choque, tiara na cabeça e rindo, rindo muito. Interprete quem souber.

Jaime Bulhosa

4 comentários:

fallorca disse...

Andas a ler Arrabal a mais e a ir sozinho ao cinema, fiufiu...

ana disse...

A sua história é deliciosa enquanto história ou sonho.
Alice é um "must" nas histórias de infância que não são para a infância.

A vida é um jogo...

Kássia Kiss disse...

Desejo de ser a Alice?
Que se pode interpretar de três maneiras:
Desejo de voltar à infância;
Desejo de visitar o País das Maravilhas;
Desejo de ser uma... menina!!!
(sem maldade ;)

Reboliço disse...

Lewis Carroll e Stanley Kubrick entram num café...