segunda-feira, outubro 11

Já passei dos quarenta e ainda não li a "Guerra e Paz"

É já um gesto comum tirar os óculos do estojo, soprar directamente para as lentes e limpá-los no lençol da cama. Porque que é aí que eu leio, na cama, na maior parte das vezes, talvez porque sou preguiçoso, desculpem, mas não existe melhor local para preguiçar. De seguida coloco-os no nariz e prendo-os por detrás das orelhas e inicio, agora, uma nítida leitura. De vez em quando eles escorregam e deslizam, até à ponta do nariz, eu deixo-os estar, mais uma vez por preguiça ou por simples inércia. Limito-me a movimentar um pouco a cabeça de forma a focar novamente a página. Depois passa um dos miúdos e diz: «Estás sempre a ler!» Outro: «Ó pai, pareces mesmo um avô com esses óculos». Mais tarde alguém que passa e que não é criança diz: «Esses óculos dão-te personalidade, credibilidade, gosto!» Eu retiro os óculos do nariz. Dobrando-os, marco o sítio do livro onde ia, olho profundamente, franzindo muito os olhos para o nada e penso: a sabedoria vem quase sempre com a desilusão.

Jaime Bulhosa

8 comentários:

Vera disse...

Eu também já estou a chegar ao meio dos 40 e ainda não li Guerra e Paz...mereço castigo?

ana disse...

"a sabedoria vem quase sempre com a desilusão".

O pensamento que li esta semana com mais profundidade...
Obrigada!

José Cipriano Catarino disse...

Também é na cama que leio. Sempre, antes de adormecer, já lá vão quase cinquenta anos -- desde que aprendi a ler. Ora este hábito tem o inconveniente de excluir livros tipo calhamaço, mas a vantagem de evitar secas em frente à televisão ( ou de adormecer-lhe em frente) Também eu ainda não li Guerra e Paz, embora já lhe tenha pegado muitas vezes com intenção de o ler. Creio que é uma questão de gosto: li de um fôlego A Morte de Ivan Ilitch, Hadji-Murat, etc.

fallorca disse...

Ahaha, que delícia :)

@lexis disse...

Também já passei dos 40, mas já tentei ler "Guerra e Paz". Estou em paz com a tentativa e em guerra coma desitência.

Ah! E fecho a porta antes de me recostar na cama a ler... sempre evito que me digam que pareço mais de 40.... ;)

Pó dos Livros disse...

Vera,

Só se for o Crime e Castigo do Dostoiévski. ;)

Simão disse...

Eu li Guerra e Paz aos 18 anos, voltei a ler aos 30 e tal, agora os quarenta e os cinquenta já passaram, talvez não volte a ler.

Li esses clássicos russos todos aos 18 anos, quando não percebia nada de nada, (e agora talvez continue sem perceber nada de nada,claro), li-os quando não percebia porque é que quase tinha de se dizer os nomes russos em voz baixa...

Guerra e Paz é para ler, ou A Mãe (diferente dos outros todos), ou Crime e Castigo, e tudo isso, O Irmãos Karamazov...

Esparsa disse...

Costumo ler no sofá - ainda sou uma criança a imitar teatralmente os gestos da mãe. Depois, a minha mãe deixou de ter sossego e passou a ler na casa de banho. Essas passaram, então, a ser as vezes em que não me era permitido entrar com ela lá dentro. (Há um momento que acontece com a chegada da maternidade em que certos espaços deixam de ser sinónimos irrefutáveis de privacidade - esse momento atemoriza-me). Ainda não li o Guerra e Paz. Ainda não sou mãe. A desilusão é o último estádio da sabedoria...