quarta-feira, janeiro 12

Rimas e jogos infantis


Acordei hoje com uma rima infantil, muito antiga, na cabeça – isto deve ter uma interpretação freudiana qualquer. Lembro-me de que a dizia juntamente com outra criança, enquanto apertávamos reciprocamente as mãos, firmando bem os pés no chão. De seguida, fazíamos um movimento de baloiço, carregando entre os braços uma terceira criança. Esta era lançada para fora do “baloiço” com a máxima força, de forma a fazê-la voar ao som da última rima. Recordo-me que o objectivo do jogo era verificar quem saltava mais longe, riscando no chão com um pau a distância alcançada. Alternando de lugar, voltávamos a cantar – corrijam-me se a rima não estiver correcta:

Tão balalão,

Morreu o Simão,

Ficaram os filhos,

Comeram o pão.


Tão balalão,

Morreu o Simão,

Focinho de Burro,

Cara de cão.


Tão balalão.

Morreu o Simão.

Na terra dos mouros,

Senhor capitão.


Tão balalão,

Cabeça de cão,

Orelhas de gato,

Não tem coração.

...E partíamos os dentes de leite, alegremente, no chão.

Jaime Bulhosa

2 comentários:

Ana Paula disse...

Olá, costumo visitar o seu blog com regularidade e faço-o com muito gosto, desde já, porque adoro ler.
A propósito da rima, só me lembro da última estrofe, porque a minha mãe também a cantava quando eu era pequena e me sentava no colo dela.

Continue com o bom trabalho que tem feito até agora com este blog.

Ana Paula

Isabel disse...

Tão badalão
Cabeça de cão
E vai parar
Ao meio do chão