sexta-feira, fevereiro 4

Partir pedra


O escritor francês Charles Péguy (1873-1914), conta a história de um homem que, na idade média, a caminho de Chartres, encontra um homem aplicado ao mais duro dos ofícios: partir pedra.
- Vivo como um cão – disse-lhe o homem. – Exposto à chuva, ao vento, ao granizo, ao sol, faço um trabalho penoso em troca de uns tostões. A minha vida não vale nada. Nem merece o nome de vida.
Um pouco mais longe, o nosso homem encontra outro canteiro, este com uma atitude completamente diferente.
- É verdade que é um trabalho duro – diz-lhe ele –. Mas, ao menos, é trabalho. Dá para alimentara mulher e os filhos. E depois, ando ao ar livre, vejo a gente que passa… Não me queixo. Há quem esteja pior do que eu.
Um pouco mais adiante, o homem encontra um terceiro canteiro, que lhe diz, olhando-o bem nos olhos:
- Eu, eu estou a construir uma catedral.


6 comentários:

s. disse...

Três atitudes distintas diante da vida e seus acontecimentos. E cada uma delas nos dá uma lição e nos força a relfetir sobre nossas atitudes.

Belíssimo texto!

Um abraço à equipe Pó dos Livros, que sempre me presenteia com excelente literatura!

sonia disse...

A mente transforma pedras em diamantes!
Muito bom para refletir...

Anônimo disse...

Obrigada por esta história, é isso mesmo :)

Patty disse...

Este post faz-me pensar...

SEVE disse...

Obrigado Amigo Jaime Bulhosa.

Estes textos, para começar a semana, são uma maravilha.

SEVE disse...

Obrigado Amigo Jaime Bulhosa.

Estes textos, para começar a semana, são uma maravilha.