terça-feira, fevereiro 1

Pequena Antologia de Poetas Portugueses

É uma pena a imagem não demonstrar a extraordinária beleza desta edição da Pequena Antologia de Poetas Portugueses que a Editora Regional de Extremadura teve a amabilidade de me enviar.

Enrique Díez Canedo representa, como muito poucas firguras, a contemporaneidade que nos chega de Espanha com o Século XX e, que nas suas três primeiras décadas aplica a um programa moderno de uma eficácia assombrosa. Entre os muitos trabalhos do crítico e poeta Canedo, destacam-se a traduções e, entre estas, as que realizou da literatura portuguesa, um dos seus focos de atenção. A Pequena Antologia de Poetas Portugueses oferece uma boa amostra desses interesses, muito em sintonia com a vocação transfronteiriça da Extremadura actual. Esta edição reproduz o que entre 1909 e 1911 se publicou em Paris na editora Amarante, acompanhada de um estudo que analisa as relações entre Díez Canedo e a literatura portuguesa do seu tempo.

2 comentários:

fallorca disse...

Mas mostras na mão? Para «ver como os espanhóis»? Obrigado :)

Valdecy Alves disse...

Nietzsche dizia que o mundo é um imenso pântano e que a arte é a orquídea colorida e bela que nasce no alto da árvore podre.
Digo então que BLOGS DE POESIA SÃO ORQUÍDEAS NO PÂNTANO DA WEB.
Convido a ler poesia da minha autoria, escrita ontem 05/03/2011. Se gostar comente e divulgue:
http://valdecyalves.blogspot.com/2011/03/canto-vida-peregrina.html