sexta-feira, março 18

O Rei Faz Vénia e Mata


«Na língua da aldeia – assim achava eu quando era criança – as palavras estavam, para toda a gente à minha volta, pousadas em cima das coisas. As coisas chamavam-se exactamente como eram, e eram exactamente como se chamavam. Um acordo selado para sempre. Para a maior parte das pessoas não havia aberturas através das quais tivéssemos de olhar entre palavra e coisa e fitar o nada, como se escorregássemos para fora da pele em direcção ao vazio. Os gestos manuais do dia-a-dia eram instintivos, trabalho bem ensaiado sem palavras; a cabeça não seguia o caminho dos gestos nem tinha os seus caminhos próprios, divergentes. A cabeça servia para carregar os olhos e os ouvidos, que eram necessários ao trabalho.»

São estas as primeiras linhas de O Rei Faz Vénia e Mata, o livro de ensaios em que Herta Müller – vencedora do Prémio Nobel da Literatura em 2009 – faz uma espécie de «auto-radiografia» á sua escrita, levantando a ponta do véu que cobre as suas vivências e memórias pessoais e revelando a génese do seu próprio processo criativo.

edição: Texto

título: O Rei Faz Vénia e Mata

autor: Herta Müller

tradução: Helena Topa

formato: 15,5x23,5cm (capa mole)

n.º pág.: 181

isbn: 9789724742731

pvp: 17.90€

Nenhum comentário: