terça-feira, abril 26

Da Decadência da Arte de Mentir




«Note-se que não é minha intenção sugerir que o hábito de mentir sofreu qualquer declínio ou interrupção - não, pois a Mentira, na sua condição de Virtude, de Princípio, é eterna; a Mentira, enquanto passatempo, consolo, refúgio em tempo de necessidade, a quarta Graça, a décima Musa, a melhor e mais fiel amiga do homem, é imortal e não desaparecerá da Terra enquanto este Clube existir. A minha reclamação diz apenas respeito à decadência da arte de mentir. Nenhum homem de intelecto superior, nenhum homem de sensibilidade apurada, pode contemplar a inoperante e negligente mentira dos nossos dias sem lamentar ver uma nobre arte tão prostituída.»

edição: alfabeto

título: Da Decadência da Arte de Mentir e outros Textos

autor: Mark Twain

tradução: Sofia Gomes

formato: 13x20cm

n.º pág.: 144

isbn: 9789898475183

pvp: 16.00€

Um comentário:

Cláudia S. Tomazi disse...

Da mentira perfeita

Para não abalar ao que de perfeição se dá, tem para cada um na arte de mentir, duas verdades à se cumprir.