terça-feira, abril 19

de brincar


Uma remessa de jogos e muitas outras brincadeiras chegou há dias da Edicare. Entraram na Pó dos livros, instalaram-se na montra e já desceram as escadas até ao infantil. Há jogos de cartas, bonecos de papel, carimbos, brincadeiras recortadas, puzzles muito fáceis e puzzles muito difíceis, livros cheios de ideias para brincar, móbiles para voarem nos tectos lá de casa, t-shirts divertidas para pintar, autocolantes para colar e descolar e jogos de contar histórias.

O difícil é decidir se gostamos mais das ilustrações ou do jogo em si. A Djeco (marca dos jogos) consegue tornar as duas coisas perfeitas. E depois, escolher um para levar.

O melhor de tudo é que o tempo está sempre perfeito para brincar com eles: se chover muito ficamos em casa e organizamos uma tarde de jogos, se estiver um lindo dia de sol, basta transportá-los connosco e sentármo-nos na relva de um jardim de Lisboa a jogar.


Um comentário:

Cláudia disse...

É da maior importância investir nestes valores, pois o estreitamento, conciliação, amizade, que através das brincadeiras infantis, adultos interagem por momentos em intimidade pela cumplicidade ao compartilhar tanto para construção do herói (pai) como para a inocência (criança)ambos aprendizados.
Eis a vitalidade da família, o pulsar para a compreensão que o conhecimento "de brincar" desperta.