quarta-feira, abril 13

Já valeu a pena ter aberto uma livraria

A propósito de um post, com o título Ladrão de Poesia, fizeram um curioso comentário que publiquei com o nome de Um Ladrão Confessa-se. Hoje recebi através do Facebook esta mensagem:

«Caro Jaime.

Um dia destes, no blogue Pó dos Livros, a propósito de livros roubados e ladrões apanhados, fiz uma confissão. Sim, também tinha esse vício horrível. Vai daí, houve alguém que fez um comentário a dar-me um valente puxão de orelhas. Era alguém que gosta muito de ler. Fomos trocando correspondência e eu descubro uma mulher de uma beleza excepcional. Também tem um blogue e é um blogue muito interessante. Escreve como se fosse um diário íntimo. Graças ao pó que se acumula nos livros, descobri um ser excepcional e de que espero nunca mais me separar, apesar dos 300 km de estrada que distam das nossas bibliotecas. Que mulher, Jaime, que mulher!

Atentamente

Pedro»

13 comentários:

martin jusefus disse...

Parabéns à Pó dos Livros pela sua função de Cupido, mais que fazer despertar mentes pela leitura, une corações lindo!

mariasilveira disse...

Que bom, este maravilhoso efeito do pó dos livros!

Au chocolat disse...

Já agora qual é esse magnifico blogue escrito por essa mulher de beleza excepcional, segundo o Pedro?

A Refinaria disse...

Incrível. E bonito. E muito Paul Auster.

Anônimo disse...

esta história encheu-me de curiosidade e como já vivi uma parecida fui cuscar...e acho que percebi... :)

e há acasos felizes nestas ondas da vida, não é?

bonita estória...

josé luís disse...

não foi o pó dos livros, pedro, foram pós de perlimpimpim na ponta de uma seta...
;)
(gostem ou não, confirma-se: a realidade suplanta SEMPRE a ficção)

Pedro Carneiro disse...

O meu sonho,desde que fiquei desempregado foi poder ter a capacidade e a habilidade de abrir um livraria. Irónico não? Apesar do exagero do título, abrir uma livraria tem de valer muito mais do que isto, agradeço o elogio e fico sensibilizado. Quando for a Lisboa não posso deixar de ir à Pó dos Livros...comprar uns livros e cumprimentar o Jaime.

Pedro Carneiro disse...

Aos interessados o blogue escrito por essa mulher deslumbrante chama-se "Areia às Ondas".

FlorAlpina disse...

Já valeu andar a navegar por aí, e ter descoberto este magnifico blogue!
Adorei o texto! E foi por curiosidade ler os outros. Interessante!

Bjs dos Alpes

ana disse...

Que história deliciosa. Parabéns Pedro e felicidades!
E a Pó dos Livros medianeira de tal amor exerceu uma das funções dos livros: encantar.
O cheiro dos livros tem muito que se lhe diga... :)

Areia às Ondas disse...

Há males que vêm por bem… podia falar do facto do Pedro ter perdido o vício, mas refiro-me ao facto de o ter conhecido! Estes últimos meses têm sido divertidos e bons. Começámos a discutir em Janeiro e estamos a agendar uma visita conjunta à Pó dos Livros! A leitura é mágica e os livros fazem milagres!

João Afonso Machado disse...

O episódio é o bastante para responder a questões postas em posts acima. Há no mundo muito lugar para as livrarias e os livros e tudo de bom por eles proporcionado

marceloribeiro@netcabo.pt disse...

Ora bolas! Tenho mais de 18.000 livros e nunca roubei um. não por não me apetecer mas apenas porque tinha medo de ser caçado...
afinal, se tivesse ousado, poderia acontecer-me o mesmo que ao leitor que encontrou a alma gémea a 300 km de distância (Porto-Lisboa?)