quarta-feira, junho 8

Geniociclopédia III


Nota: o relato não revelado das conversações entre a troika e Portugal.

«Um pobre homem dirigiu-se à porta de um grande senhor e quando o guarda lhe perguntou o que queria, disse que tinha chegado um irmão do fidalgo que precisava muito de lhe falar. O guarda, havendo transmitido a mensagem, recebeu ordens de dar entrada a esse irmão. Este, chegado à presença do grande senhor, demonstrou-lhe que, sendo todos descendentes do grande pai Adão, era seu irmão, e que as riquezas estavam mal repartidas, e pedia-lhe que o tirasse de tão grande miséria, porque mal podia viver de esmolas. Então o senhor respondeu que era bem lícito tal pedido, chamou o tesoureiro e mandou-o dar-lhe um soldo. O pobre ficou muito surpreso e disse que não era isso que pedia ao irmão. Então o senhor disse que tinha muitíssimos irmãos assim e que se fosse a dar muito a cada um acabaria por ficar sem nada, e que esse soldo era suficiente para a divisão dos bens. E com tal argumentação deu por encerrada a partilha da herança.»

(fábula do Séc. XV)

Um comentário:

charlles campos disse...

Sou um fã inveterado do teu blog. Nada mais simplesmente genial do que um livreiro escrever em um blog próprio sobre as vivências diárias de sua profissão. E sobre livros, LIVROS! De certa forma, entre tantas pessoas as quais poderiam me culpar equivocadamente de sentir inveja, é de uma vida como a tua que deixaria meus negócios de lado e me disporia para essa nova ocupação.

Não sei se é possível para alguém aqui do Brasil comprar um de seus livros. Talvez seja economicamente inviável. Interessei-me bastante pela Loja de Antiguidades de Dickens, que no Brasil não se acha mais. Mas devo dizer que a tradução de Light in August de Faulkner, a que você apresenta aí do lado, é péssima. Omite parágrafos inteiros e o tradutor é um autista no uso das vírgulas. Eu a tenho.

Abraços.