terça-feira, julho 5

As Luzes de Leonor


Um romance sinfónico sobre a Marquesa de Alorna, Leonor de Almeida Portugal, neta dos Marqueses de Távora, uma figura feminina ímpar na história literária e política de Portugal. A grande escritora Maria Teresa Horta, persegue-a e vigia-a nos momentos mais íntimos, atraída pela desmesura de Leonor, no seu permanente conflito entre a razão e a emoção. Acompanha-a no voo de uma paixão, que seduz os espíritos mais cultos da época, o chamado "século das luzes", e abre as portas ao romantismo em Portugal.

edição: D.Quixote

título: As Luzes de Leonor

autor: Maria Teresa Horta

n.º pág.: 1000

isbn: 9789722047510

pvp: 30.00€

6 comentários:

pco69 disse...

1000 páginas e 30 euros. É um grande livro em todos os sentidos. Mas será mesmo um grande livro?

Ivone Costa disse...

O adjectivo "sinfónico" é o melhor para se qualificar este livro, Jaime. Eu,com muito trabalho entre mãos neste momento, não resisto a repetidas interrupções para lhe voltar às páginas. É sumptuoso.

brites disse...

Por 30 euros só mesmo para marqueses endinheirados... que não têm mais com que se entreter do que esfregar os umbigos!

Não lamento porque livros com 1000 páginas não são mesmo para gente ler.

A esquerda que nos quis governar preparava-se para nos prender por certo...

Filoclassica disse...

Se se quiser um exemplo de escrita feminina, aí está «As Luzes de Leonor». Das palavras aí inscritas transpira uma sensibilidade única, cujo suor flui do amor posto ao serviço da arte literária. A propósito das profecias lançadas quanto a potenciais Prémios Nobel, atrevo-me a propor sem hesitações o nome de Maria Teresa Horta.

Gastão disse...

Grande escritora.Livro Admirável.Digno de Nobel.Como partir de uma base e fundamento histórico e transformar a imagem de uma personagem em música, poesia e arte dos cinco sentidos.

PFL? disse...

Gostava de o ler.
Com 1000 páginas terei tempo para o fazer demoradamente. Romances históricos são o meu género favorito, pela quantidade de pesquisa de época que inclui e a forma como os autores conseguem regressar às vivências do passado.
Espero que a edição seja impressa em papel reciclado, para tornar o livro mais leve :)