quinta-feira, julho 28

De férias


A minha colega pediu-me para ir depressa de férias. Passado estas semanas sem aparecer nem escrever neste blogue, ela por telefone repreende-me:

- Não te pedi que fosses depressa?

- Pediste-me. Mas não me disseste nada quanto ao regresso.


Jaime Bulhosa

6 comentários:

alfacinha disse...

boas férias

fallorca disse...

És um incompreendido

SEVE disse...

Ó amigo Jaime -mas já foi ou já veio- (de férias)?não compreendi, sinceramente.

Pó dos Livros disse...

Seve, fui ;)

Luís Graça disse...

Quando era pequeno adorava ir para FÉRIAS, mas agora não tenho paciência para aturar a população feriense.

Além do mais, FÉRIAS fica longe de tudo e os hotéis não compensam.
A relação entre o hólidei (moeda de FÉRIAS) e o euro não é nada compensadora.

Mas recordo com saudade o steak à la Vacances e um livro de Trondheim Block "A última aventura do primeiro aventureiro".

Areia às Ondas disse...

Li e sorri pela primeira vez no primeiro dia depois das férias.