sexta-feira, setembro 30

Livros usados


Sempre houve leitores dos mais casuais aos que lêem apenas os clássicos. E sempre existirão não-leitores, dos que lêem só um livro (como os skinhead), àqueles que não tiveram possibilidade de esbarrar com um. O perigo não vem de se ler muitos livros mas de se ler apenas um. Os primeiros não necessitam de ser convertidos, os segundos, em muitos casos, não podem sê-lo e se o pudessem, talvez eu fosse a pior pessoa para o fazer. Vendo e compro livros há tantos anos que já se transformaram numa mercadoria. Não é bonito viver do tráfico do produto do sangue, suor e lágrimas dos outros, Já vos estou a ouvir, ofegantes, barafustar: é como se eu estivesse a vender a alma ao Diabo. Concordo, nem todos os livros são mercadoria, subsistem aqueles que são escolhidos por paixão, a dedo. Depois lemo-los deleitados, guardamo-los, vendemo-los, cuidadosamente, para muito provavelmente, nunca mais os voltarmos a tocar. Mas vale a pena!

Jaime Bulhosa

Nenhum comentário: