terça-feira, setembro 27

Máquina fantástica



«[...] Um dia, vindo de Inglaterra para os poucos dias de férias em Lisboa, o Diogo, então com seis anos, passou horas sentado à minha mesa, a escrever na minha velha máquina (uma Remington, da mesma idade que eu, e para a qual ainda olho hoje com gratidão).
quando o pai chegou, foi a correr ter com ele:
- Pai, não vais acreditar! A avó tem uma máquina fantástica, que imprime tudo automaticamente.

Alice Vieria, O livro da Avó Alice, Lua de papel 2010

2 comentários:

disse...

Eu tenho uma máquina de escrever Triunph bem antiga, é linda! Estas máquinas tªem muita história, era nela que escrevia quando era teenager : ) Ainda não tinha computador.

R.B. NorTør disse...

Faz-me lembrar uma vez que, no largo do antigo tribunal de Almada, um grupo de adolescentes se queixava de nao terem uns sitios na rua onde pudessem carregar os telemóveis.

Ainda comecei a apontar-lhes uma antiga cabine de telefones para descobrir que já lá nao estava!