sábado, outubro 22

Ordenados em atraso na Bulhosa

Partindo do principio, e acredito que sim, de que esta notícia é verdadeira: ordenados em atraso na Bulhosa; não posso deixar de ficar profundamente triste e chocado com a situação dramática que os funcionários da Bulhosa devem estar a viver. Quero expressar a minha solidariedade, para com antigos colegas e para com aqueles que já não tive oportunidade de conhecer. A Bulhosa Livreiros foi fundada, em 1989, por três irmãos: por mim, o Paulo e o Gonçalo. Todavia, tanto eu como meus irmãos, prescindimos há pelo menos meia dúzia de anos de ter qualquer ligação com esta empresa; apesar de ainda ostentar o nosso nome. Criámos esta empresa a partir de uma só livraria e fizemo-la crescer até sete livrarias. Evidentemente que isso só foi possível com a ajuda dedicada de quem connosco trabalhou. Muitos desses colegas ainda lá se mantêm e podem confirmar que o espírito da empresa, nessa altura, era outro. Bem, mas essa é outra história e que não interessa aqui contar.

Eu entendo que uma empresa possa estar a passar dificuldades, ainda para mais tratando-se de uma livraria, no meio desta imensa crise económica. Já não entendo, tão facilmente, porque é que a situação não foi devida e atempadamente explicada aos funcionários da Bulhosa. Desejo, sinceramente, que a situação se resolva rapidamente e da melhor maneira possível, tanto para os funcionários como para os proprietários.

Jaime Bulhosa

Um comentário:

Rui Roque disse...

Jaime, infelizmente, passaram-se 22 dias de Outubro e nenhum membro da administração da Bulhosa se dignou a ter uma palavra que fosse no sentido de justificar a falta de pagamento dos funcionários, a única palavra foi de censura, por ter assinado por baixo, a denúncia desta triste situação. Podes imaginar o nosso estado de espírito. Obrigado pelo teu apoio.