terça-feira, janeiro 31

campanha fenomenal!



Anda meia dúzia de livreiros a esfalfar-se para divulgar boa literatura para a seguir vir a FNAC engendrar uma campanha publicitária que nos propõe trocar Eça por Vampiros. Francamente!... Espera aí! Se calhar a ideia não é assim tão infeliz. Começo até a achar que talvez seja genial, sublime. Estou inspirado com a ideia. E que tal a Pó dos livros propor-vos uma fenomenal campanha semelhante? seria qualquer coisa do género: «Traga o "chato" do seu marido, namorado ou emplastro e venha à Pó dos livros trocá-lo por um Agualusa, um José Luís Peixoto, ou quem sabe, um Tolstói que parece que quando era novo e vivo era mesmo muita bom! (e morto também).»

Nota: Campanha válida para os dois sexos.

13 comentários:

R.B. NorTør disse...

Sou um apreciador particular da obra do Eça e nao me choca em nada a referida campanha publicitária. Aliás, pelo sururu que gerou nos locais habituais, se fosse responsável pela campanha estava neste momento a assinar um bónus chorudo para o criativo.

Outra coisa que me agrada ainda mais é ver como se pega numa campanha e se a vira a nosso favor. O logotipo do troque a FNAC é algo que devia ser disponibilizado como banner!

asminhasquixotadas disse...

Boa ideia! Também me manifestei sobre a peregrina ideia da FNAC.

http://asminhasquixotadas.blogspot.com/2012/01/serio-mas-e-mesmo-serio.html

Carmen Figueira disse...

Trata-se de uma campanha profundamente infeliz.
Até compreendo que alguém tenha pensado que estaria a ser "caridoso" pedindo livros "bons" para depois serem oferecidos pela AMI a quem mais precisa e pouco ou nada tem. O que não compreendo é porque não se sugere que o cliente troque um Cesariny por outro Cesariny. Ora, deduzo que se deixar a minha Mensagem e escolher outra Mensagem, da Assírio, por exemplo, a AMI, depois, ofereça essa obra (literária) e eu continuo a manter a minha na estante (é mais na mesa de cabeceira)... Alguém, no seu perfeito estado de saúde mental, seria capaz de entregar o seu Idiota e levar de volta para casa um desses títulos que nem conheço nenhum para aqui deixar como exemplo?

Anônimo disse...

tagostei do blog

visite o meu:

http://sociedadedolivro.wordpress.com/

ana b. disse...

Boa! Troco já o meu pelo Agualusa! Não desfazendo nos restantes, é um bonito moçoilo, sim senhor! Pode reservar, s.f.f.. Obrigada:)

Malu disse...

Mas, o que fará com os maridos, namorados ou emplastros?
Em Marrocos trocam mulheres por camelos, será que se interessam pelo sexo masculino também?
Se quiser saber quantos camelos, cabritos e ovelhas vale uma mulher, pode calcular aqui :

http://camels.evilsun.org/index.php

R.B. NorTør disse...

Campanha infeliz? De acordo com o que estudei sobre texto publicitário, pese que já foi nos idos de 95, parece-me muito bem sucedida.

Passaram às bocas do mundo, retiraram o cartaz assim que gerou sururu pedindo desculpas e uma campanha condenada a morrer continua a ser falada.

SEVE disse...

Ó R.B.Nor Tor - campanha publicitária, em 1895, não estarás mesmo desactualizado...

Pó dos Livros disse...

malu,

a minha vale, ou melhor valia porque a vou trocar por 45 camelos e uma cabra. Pelo menos foi o que deu no teste. ;)

jaime

Anônimo disse...

Lembra-se daquela "do q é preciso é publicidade"? Pois... Já agora, não tem para aí uma Clara Ferreira Alves?
(cada um tem as fantasias q tem, não me leve a mal...)

ematejoca disse...

O Agualusa pode ser um bonito moçoilo, mas NUNCA li nada dele.

Troco sim senhor, o meu aparelho de TV pelo António Lobo Antunes, mas o meu marido é que não o troco por nada deste mundo!!!

Anônimo disse...

Há coisas na vida
só sabem dar certo
tanto que sobejam
e outras, nem perto.

Sucesso!



Cláudia S. Tomazi

Anônimo disse...

Boa!! Por este caminho vamos criar um sistema de censura em dois tempos. Já cá fazia falta não é?