terça-feira, fevereiro 14

O absurdo no dia dos namorados




De ramo de flores na mão:
- Bom dia. Eu queria, assim… uma coisa bonita, colorida, brilhante. Uma coisa que fique bem, especial, para oferecer. Não sei se me está a perceber?
A livreira cogita, matuta, pensa... por fim, interroga-se: «Humm!... Será que o senhor quer uma jarra?...»
Antes que a livreira tivesse tempo de responder, o cliente acrescenta:
- Sabe!?... Eu salvei a minha amiga de morrer afogada. Será que não tem nada de poesia sobre essa temática?
A livreira cogita, matuta, pensa novamente, faz um esgar aflito e, sem querer, raciocina em voz alta:
- Preferia a solução da jarra!
- Como?... 

Um comentário:

Malu disse...

Amei as fotos.
As sementes caíram em terra fértil!
Mas a mente da livreira não estava tão fértil, talvez necessitasse ser regada...