quarta-feira, abril 4

Incunábulo



Nos meus tempos de livreiro principiante os meus ouvidos eram todos curiosidade. Adorava ouvir as conversas entre os mestres livreiros e os clientes bibliófilos. Aprendi muito sobre livros nessas amenas cavaqueiras de fim de tarde. Aprendi, por exemplo, numa história que já contei aqui, o que eram «didascálias» quando um dia perguntei ao meu mestre:  
- Mestre, como posso distinguir os temas dos livros e saber onde os arrumar?
O mestre, prontamente, responde:
- Os livros com textos antigos vão para a filosofia. Os livros com textos curtinhos e, às vezes com rimas, vão para a poesia. Os livros com diálogos e didascálias vão para o teatro.
Que nome tão estranho!?... Pensei para comigo.  
- Didas… quê? – Perguntei sem me importar de passar por ignorante. Aliás não tinha idade para ser outra coisa que não um ignorante.

- Didascálias! Ouviste bem, di-das-cá-lias. 

- Ah!... E o resto?

- O resto?!… Embora, muitas vezes não pareça, é tudo ficção.

Mas este não tinha sido o termo mais estranho que eu tinha ouvido. Certa vez, tentando escutar uma conversa, em sussurro, entre o meu mestre e um senhor distinto, que eu sabia ser um cliente especial, ouvi, por entre dentes, as palavras «incunábulo» e «in-fólio» . Aquilo é que me despertou a curiosidade: «Mas que raio seria um incunábulo!?...» In-fólio, talvez pelo som da palavra, imediatamente, imaginei um instrumento de fole.
Naquele tempo não tínhamos a Wikipédia à mão de semear para tirarmos as dúvidas e ficarmos mal informados, como ficamos, quando pensamos que o que está escrito na Internet é a verdade e nada mais do que a verdade. Por isso, continuei na dúvida.
Mais vezes o senhor distinto que parecia um general, pois, usava um monóculo, apareceu na livraria a falar de incunábulos. Já não aguentava mais, tinha que saber o que vinha a ser aquilo de um incunábulo. Já andava a associar o termo a uma pessoa como o general, com cara de incunábulo ou, o que se pode dizer, em termos literários um príncipe Míchkin. Definitivamente, resolvi, assim que me foi autorizado mexer na enciclopédia, saber o significado de incunábulo. Oh! Que desilusão!…


Nota: Vá lá, para os mais preguiçosos, podem saber o que é um incunábulo aqui.


Jaime Bulhosa

3 comentários:

redonda disse...

Obrigada pela nota :)
de leitora preguiçosa

Anônimo disse...

Mas que susto: onde já iam as minhas divagações...

cbmr disse...

Bom dia :) têm o livro: "Saint-Exupéry: Vida e Morte do Principezinho"? obrigada!