segunda-feira, junho 15

No fim...



Esta é uma história contada por Tolstói, mas a sua origem perde-se algures no tempo das histórias contadas oralmente pela Europa Oriental.
Conta-se que um dia um Senhor generoso e grande proprietário disse a um homem pobre, seu servo e que lhe prestava serviços há muitos anos:
- Caminha tanto tempo quanto puderes e toda a terra que os teus passos tiverem circunscrito será tua para sempre.
O homem pôs-se imediatamente a caminho, tendo o cuidado de percorrer primeiro um círculo restrito que foi depois alargando a cada passagem por achar sempre pouco. Caminha dia e noite, cansava-se, mas a ambição tornava-se cada vez maior à medida que aumentava os seus domínios. E continuava cada vez querendo mais e mais, perdia até por vezes a noção do tempo e do espaço, mas não queria parar de caminhar.
No fim, caiu exausto no chão e morreu.
Quem o encontrou abriu uma cova com as dimensões exactas do seu corpo. Era a sua parcela de terra.

Um comentário:

bea disse...

Talvez entre o emissor e o receptor a mensagem tenha feito uma pirueta:). Ou não valerá a pena ambicionar mais do que o corpo pode. Qualquer coisa assim.